O Anjo Exterminador (Luis Buñuel,1962)

Título Original: El ángel exterminador (1962)
Direção: Luis Buñuel
Roteiro: Luis Buñuel
Produção: Milena Poylo e Gilles Sacuto
Fotografia: Wilfrid Sempé
Música: Jean Musy
Figurino: Maria Luisa Garcia
Gênero: Drama
Duração: 95 minutos
País de Origem: México

      O diretor surrealista Luis Buñuel, através de sua estranha obra metafórica “O Anjo Exterminador”, colocou à mesa a existência essencialmente animalesca dos seres humanos, normalmente encoberta pelas convenções e bons modos com que a sociedade coage cada indivíduo e a mediocridade da classe burguesa pseudo-aristocrata.

     Minutos antes de começar um jantar, os empregados têm o incomum desejo de partirem da mansão, deixando a anfitriã, Letícia, com apenas um garçom para servir os convidados. A noite é repleta de curiosos acontecimentos. Por exemplo, o garçom que deixa a bandeja de comida estatelar-se no chão e uma das convidadas que carrega pés de galinha dentro da bolsa . Às três da manhã, os convidados já estão fartos do jantar e exauridos do encontro e das conversações. Todos começam a se despedir, mas por alguma razão, as despedidas se tornam intermináveis.

    Exaustos, os convidados adormecem um a um, pelos móveis e pelo chão da sala de estar. Ao amanhecer, ninguém compreende por que simplesmente não partiu na noite anterior. Alguns convidados se sentem envergonhados de fugirem às regras da etiqueta, outros admiram a espontaneidade e consideram a situação uma aventura. Ao tentarem novamente ir embora, os convidados sentem-se angustiados, como se uma força os impelisse a permanecer na sala.

    Sem que haja empecilhos, os convidados se vêem impossibilitados de retornar às suas vidas. Conforme os dias passam, os representantes da alta sociedade ali dispostos começam a decair. Privados de suas necessidades mais básicas, as pessoas começam a enlouquecer e a conflitarem entre si.

    O humor obscuro de Buñuel transforma a sala em um experimento científico, onde o comportamento humano é testado. Diversas interpretações podem ser retiradas dessa obra-prima. Além de exercício para o intelecto, o filme brinca com a atenção do espectador ao repetir algumas cenas. O próprio Buñuel afirmou ter mais de 20 repetições durante o filme. A obra está na lista dos 1000 melhores filmes de todos os tempos pelo jornal The New York Times, que pode ser conferida aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s