Top 13: As Melhores Vinganças

O top de hoje tem como inspiração a frase: a vingança é um prato que se come frio. Além da qualidade do filme, o modus-operandi do personagem movido pelo nobre sentimento de justiça foram levados em conta.

 

13. Sleepers – A Vingança Adormecida (Sleepers, 1996)

Nos anos 60 quatro adolescentes que viviam em Hell’s Kitchen, em Nova York, matam acidentalmente um homem. Eles são condenados a cumprir pena no reformatório Wilkinson, onde viveram o inferno sob torturas e estupros dos guardas e dias e noites em solitárias sem água nem comida. A infância perdida deu lugar ao rancor. Quase 20 anos depois, dois deles encontram por acaso em um bar o guarda (Kevin Bacon) que mais os humilhou. Nesta hora a vingança dos quatro amigos tem seu início.

 

12. Eles a chamam de Caolha (They Call Her One Eye,1974)

Madeleine (Christina Lindberg) é uma jovem muda, devido ao trauma de ser abusada na infância. Ela é seduzida por um malandro que a introduz no mundo das drogas pesadas e a obriga a se prostituir. No primeiro programa, ela discute com o cliente e o cafetão lhe arranca o olho. Depois de sofrer dezenas de maus-tratos e da sua única amiga Sandy (Solveig Anderson) morrer, Madeleine decide dar um basta em tanta humilhação. Começa então um treinamento intenso em artes marciais, tiro e direção, o que vai desencadear em uma sangrenta e meticulosa vingança. Quentin Tarantino declarou que inspirou-se neste longa sueco para fazer o seu Kill Bill.

 

11. Gladiador (Gladiator, 2000)

O Imperador Marco Aurélio (Richard Harris) desperta a ira do filho Commodos  (Joaquin Phoenix) ao mostrar sua intenção em deixar o trono para o comandante do seu exército romano, Maximus (Russell Crowe). Sedento pelo poder, ele mata seu pai, assume a coroa e ordena a morte de Maximus e sua família. Maximus consegue fugir e passa a se esconder sob a identidade de um escravo e gladiador, esperando pela melhor oportunidade de vingança.

 

10. V de Vingança (V for Vendetta, 2006)

O filme baseado na graphic novel de Alan Moore  trata da vingança de um homem contra o governo que assola a Inglaterra de um futuro próximo com ideais totalitários. Evey Hammond (Natalie Portman) é envolvida na trama ao ser salva por V (Hugo Weaving), o mascarado carismático e habilidoso na arte do combate e da destruição. Ao convocar seus compatriotas a se rebelar contra a tirania e a opressão do governo inglês, V provoca uma verdadeira revolução.

9. Cabo do Medo (Cape Fear, 1991)

Na versão de Martin Scorsese, Robert DeNiro é quase um personagem de desenho animado de tão caricato, interpretando um ex-presidiário que acaba de ganhar a liberdade após 14 anos de sofrimento. Motivado a vingar-se do defensor público (Nick Nolte) responsável por sua condenação, o sujeito arquiteta um plano para causar desequilíbrio na harmoniosa vida familiar do advogado, onde a sedução de sua filha adolescente (Juliette Lewis) é apenas o princípio. Apesar de alguns tropeços e o exagerado final, ainda assim é um ótimo filme.

8. Sob o Domínio do Medo (Straw Dogs, 1971) 

O diretor Sam Peckinpah foi duramente criticado por exagerar na violência explícita, mas seu estilo tornou-se uma influência no cinema a partir dos anos 70, com o aumento do realismo nos filmes. Nesta trama, o pacato escritor David (Dustin Hoffman) e sua jovem esposa Amy (Susan George) resolvem mudar para o campo e são envolvidos em um jogo de intimidação e violência. A pressão que ele sofre é tanta que acaba transformando-se num homem violento que irá usar a vingança pelas próprias mãos para sobreviver.

7. O Conde de Monte Cristo (The Count of Monte-Cristo, 2002)

Edmond Dantes (Jim Caviezel) é traído por seu melhor amigo que o acusa de assassinato para ficar com sua mulher. Depois de passar um longo período em uma prisão isolada na ilha de Elba, Dantes escapa cheio de ódio e sedento por vingança. Encontra a sorte em um tesouro inominável e transforma-se no misterioso e riquíssimo Conde de Monte Cristo. Com uma astúcia cruel, ele se envolve com a nobreza francesa e começa a se vingar de todos que o traíram. Ótima adaptação da clássica história de Alexandre Dumas.

 

6. Mr. Vingança (Sympathy for Mr. Vengeance, 2002)

O primeiro capítulo da trilogia da vingança de Park Chan-Wook é o mais cru, trágico e brutal da série. Ryu (Shin Ha-Kyun) é surdo-mudo. Sua irmã precisa com urgência de um transplante de rim. Sem doadores compatíveis, ele recorre ao mercado negro, mas é trapaceado e perde todas suas economias e o rim. Ryu então é convencido por sua namorada a sequestrar a filha de quatro anos do empresário Dong-Jin (Song Kang-Ho) para pagar o transplante. Mas o sequestro não funciona como esperado: a irmã de Ryu se suicida e a menina raptada morre afogada. Sem outros motivos para viver, Dong-Jin e Ryu vão preparar implacáveis planos de vingança um contra o outro.

 

 

5. O Corvo (The Crow, 1994)

Baseado nas histórias em quadrinhos de James O’Barr, o filme mostra uma sociedade imersa no caos. Em meio a toda esta violência, o casal Eric (Brandon Lee) e Sarah (Sofia Shinas) são brutalmente assassinados por bandidos que invadiram seu apartamento. Um ano depois, Eric volta do mundo dos mortos guiado por um corvo e inicia uma caçada em busca de vingança.

 

4. Ben-Hur (Ben-Hur, 1959)

O clássico Ben-Hur conta a história de Judah, um rico mercador judeu. Messala, um velho amigo, é escolhido pelo governador para ser o oficial comandante de uma das legiões romanas, e um desentendimento entre os dois faz com que Ben-Hur seja condenado a viver como escravo. Mas ele lutará pela liberdade e vai em busca de vingança daqueles que destruíram a vida de sua família. Vale lembrar que essa obra-prima levou 11 Oscars.

 

3. Era Uma Vez no Oeste (Once Upon a Time in the West, 1968)

Clássico absoluto do western dirigido pelo mestre Sergio Leone com Charles Bronson bancando o herói da história, um sujeito caladão conhecido como Harmonica. Ele tem contas a acertar com Frank (Henry Fonda) um pistoleiro de aluguel que carrega sempre sua gaita. Até chegar bem perto do final, quando um flashback elucida tudo, não sabemos sua real motivação, mas sente-se um doce gosto de vingança em todas as suas atitudes.

 

2. Kill Bill Volume 1 e Volume 2 (Kill Bill Vol 1 & Vol 2, 2003/2004)

No dia do ensaio para a cerimônia de seu casamento A Noiva (Uma Thurman), grávida, é vítima de um ataque do ex-amante Bill (David Carradine) e seus comparsas, que invadem a igreja promovendo uma verdadeira chacina. Ela sobrevive e após quatro anos em um profundo coma, acorda sedenta de vingança. Um grande filme com os tradicionais elementos característicos de Quentin Tarantino: humor negro, violência deliberada, montagem não cronológica e milhares de referências a outros filmes.

 

1. Oldboy (Oldboy, 2003)

A obra do diretor coreano Chan-wook Park pode ser violenta, indigesta e até cruel, mas não podemos negar que é um grande filme. Adaptação de uma história em quadrinhos japonesa, o longa conta a trajetória de Oh Daesu (Choi Min-sik) um sujeito comum que é sequestrado e trancado em um pequeno quarto de hotel. Sem saber quem fez isso e o motivo, sem conseguir fugir nem se suicidar, Daesu começa a perder a sanidade e a única maneira de sobreviver é alimentar seu desejo de vingança. Quinze anos se passam  e ele acorda um dia fora do quarto, restando descobrir quem destruiu sua vida.

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s