Só Deus Perdoa (2013)

only_god_forgives_ver6_xlgOriginal: Only God Forgives
Direção: Nicolas Winding Refn
Roteiro: Nicolas Winding Refn
Produção: Lene Børglum, Sidonie Dumas, Vincent Maraval
Fotografia: Larry Smith
Trilha Sonora: Cliff Martinez
Gênero: Drama
Origem: França/Tailandia
Duração: 90 minutos

A violência física e psicológica continua fazendo jus à obra de Nicolas Winding Refn. Obscuro, inquietante e hipnótico é o que pode definir Só Deus Perdoa.

O longa é mais uma parceria do diretor com o ator Ryan Gosling, depois do ovacionado Drive. Mas dessa vez não conseguiu o mesmo sucesso. O filme foi vaiado em Cannes e tem recebido críticas extremamente negativas.

critique-only-god-forgives-L-6h3Lsn

Refn nos entrega um filme difícil de digerir, que apela, acima de tudo, a uma forte reflexão sobre o conceito de justiça. Bem mais complexo do que aparenta, Só Deus Perdoa é uma experiência sensorial e sentimental.

A história nos traz Julian, que está à frente de um clube de boxe tailandês, fachada para um negócio de tráfico de droga. Mas quando o seu irmão Billy é assassinado e a sua mãe, Crystal chega a cidade para reclamar vingança, tudo muda. No seu caminho está Chang, um misterioso policial, idolatrado pelos seus companheiros.

only-god-forgive1s

O roteiro, com ritmo lento e alguns vazios por preencher, oferece sangue e violência ao longo dos seus 90 minutos. Poucas falas (aliás, sabe-se que os diálogos são secundários para Refn) ultraviolência e cores fortes – vermelhos, amarelos e azuis estão presentes na maior parte do filme.

Se por um lado temos essa violência exagerada de que tanto se fala, por outro temos a possível justificativa para que ela aconteça. Uma das lições a tirar do filme é a de que todos os atos têm consequências e isso já é apontado através do título.

Mas é esteticamente que Só Deus Perdoa atinge a excelência. A fotografia de Larry Smith nos entrega planos geometricamente estudados e iluminados de forma brilhante. Em união perfeita com a componente visual está a trilha sonora de Cliff Martinez. As cenas mais violentas são cruas, optando pela ausência de trilha, deixando o espectador apenas com o som do grito.

Only God Forgives_1

O elenco tem um desempenho irrepreensível. Ryan Gosling não descuida do personagem e, mesmo sem falar muito, consegue transmitir o essencial através da sua falta de expressão, com seu olhar apático e distante. O protagonista revela uma submissão perante a mãe e uma sexualidade complicada. Deslumbrante está Kristin Scott Thomas, com uma interpretação magistral da maliciosa mãe, Crystal. A atriz nos prova todo seu talento até na pele da mais fria e asquerosa mulher. Mas o grande destaque vai para o ator tailandês Vithaya Pansringarm na pele do policial Chang, com sua brutalidade e ar sereno.

Só Deus Perdoa possui uma beleza visual estonteante, repleto de uma violência estética que poucos nos proporcionam. É uma obra extrema: ou você ama ou você odeia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s