[Coluna de quadrinhos] Do mercado internacional para o Brasil: Marcio Abreu fala sobre sua HQ Lorenna

Por Francisco Costa

Já falamos desse quadrinho por aqui: Lorenna – Vingança Radioativa. O projeto do ilustrador Marcio Abreu busca apoio pelo Catarse para se viabilizar e conta com a participação de Julio Santos (roteiros), Vinícius Townsend (cores) e Amanda Abreu (letras).

Na trama, o leitor acompanha uma garota que vive em um cenário pós-guerra nuclear mundial. Nesse mundo distópico com pegada Mad Max, a família da protagonista, que dá nome a história, é dizimada pelo vilão da história (Três Dedos), junto de suas gangues. Após essa introdução, Lorenna cresce e desenvolve suas habilidades adquiridas pela radiação e se torna uma guerreira em busca de vingança e restauração da ordem.

E como não poderíamos deixar passar batido uma obra deste nível, entramos em contato com Marcio. Confira a seguir.

Marcio Abreu concebeu o visual da personagem antes do roteiro da história existir

Entrevista

Caneta e Café – Como surgiu a ideia para criar Lorenna?

Marcio Abreu – Bom, nunca tive muita pretensão em criar personagem, sempre gostei de desenhar somente. Mas um dia acordei com uma ideia, fui para mesa de desenho e nasceu a Lorenna! A única coisa definida era o visual e o nome, em homenagem a minha amada esposa Patricia Lorena.

Caneta e Café – HQ se passa em um futuro distópico. Alguma influência de filmes como Mad Max ou outros?

Marcio Abreu – Sim, adoro filmes como esse, um clássico! Gosto também de desenhar coisas desse universo pós-apocalíptico! Muitos detalhes, cenários destruídos, roupas com muitos apetrechos… Eu me divirto!

Caneta e Café – Você convidou o Julio Santos para o roteiro. Você já tinha a ideia da trama, ou ele precisou desenvolver do zero? Fale da relação de trabalho de vocês dois e como funciona a parceria.

Marcio Abreu – Julio Santos é um amigo de anos. Foi meu aluno em meu curso de desenho, mas não sabia que ele escrevia. Como ele vai lançar um livro, A Batalha dos Elfos, e precisava de ilustrações… E eu lançar uma revista em quadrinhos, que precisava de roteirista… Trocamos figurinhas e a parceria deu certo. Eu passei a ideia do que eu queria e ele aperfeiçoou de forma espetacular. A história é toda criação dele.

História é ambientada em futuro pós-apocalíptico

Caneta e Café – Fale um pouco de sua equipe.

Marcio Abreu – Minha equipe tem se fortalecido a cada quadro. Nos falamos pelas redes sociais, porque é cada um de um lugar. Julio Santos já descrevi acima. Vinícus Townsend, o colorista, conheci quando me mostrou meu desenho da Mulher Maravilha, que ele tomou a liberdade de colorir e fiquei fascinado com o trabalho dele. Aí foi uma sequência de artes que ele coloriu até chegarmos na Lorenna – inclusive, em breve, vamos engrenar num projeto juntos, mas ainda é segredo! Amanda Abreu, a letrista, é minha filha. Não puxou o pai no desenho, mas em matéria do mundo digital me dá aula. Inclusive nos aplicativos, configurar o celular… Essas coisas de pai velho, sabe? (risos) Ela está iniciando na carreira de designer e achei uma boa convida-la para esse projeto. Além de pegar experiência, vai ter material para o portfólio!

Caneta e Café – Seu currículo em trabalhos internacionais é longo. Esta é sua primeira obra para mercado brasileiro?

Marcio Abreu – Realmente meus trabalhos são mais para fora do país:

Grimm Fairy Tales  e Charmed, pela Zenescope Entertainment;

Red Sonja – Miss Fury e Warlord of Mars, pela Dynamite Entertainment;

Magna e Endgame, títulos internacionais independentes;

Entre outros trabalhos.

Atualmente tenho feito coisas para o mercado nacional, mas todos em andamento. Ah, sempre fui o desenhista da marca Bad Boy e publiquei, em 2007, um título pela Editora online   Bad, O segredo do Medalhão, com meu amigo Carlos Ameni. Lembro da emoção de entrar numa banca e comprar minha própria revista.

Algumas obras ilustradas por Marcio

Caneta e Café – É possível atuar profissionalmente com quadrinhos no Brasil (sem desenhar para as grandes de fora)?

Marcio Abreu – Acredito que o mercado de quadrinhos está em ascensão, graças as feiras de quadrinhos que existem aqui. Em especial a CCXP que, devido ao nível, força as outras a se superarem também. Com isso, os artistas têm publicado trabalhos autorais e com um nível excelente para expor. Mas o valor que pagam por artes no Brasil ainda é baixo. É uma cultura que está se implantando.

Apesar do brasileiro ser apaixonado por quadrinhos há muitos anos não querem pagar por isso. Culpa da nossa economia também, diga-se de passagem. Brasileiros são muito exigentes, quando se trata de quadrinhos nacional. Tem que ter coragem para lançar HQs aqui. E pra viver disso, então, tem que ser um super-herói!

Aconselho os desenhistas a estudarem muito, prepararem material de qualidade (e isso leva anos) e buscarem agenciamento e garimpar um espaço no mercado internacional. Começar vendendo pinups (artes originais de super-heróis) é uma boa. Assim tem um sustento e pode gastar tempo estudando páginas de teste para entrar nas editoras. Para mim deu certo esse caminho!

Caneta e Café – Aproveite o espaço e diga porquê esse projeto deve ser apoiado no Catarse.

Marcio Abreu – Esse projeto deve ser apoiado, porque está num nível muito bom, em primeiro lugar. Tem sido feito com muita dedicação, carinho e amor e isso faz toda diferença. E porque é o início de um trabalho e todo início precisa de apoio.

A ajuda dos fãs e colecionadores de quadrinhos é fundamental. Esse público é o que mais entende a importância de poder rodar a primeira revista. Com esse material na mão fica mais fácil de dar os próximos passos: de publicar, expor, distribuir isso pelo país, enfim, fazer acontecer.

Sei que a grana tá curta pra todo mundo, mas um apoio de valor baixo entre muitas pessoas não pesa para ninguém e eu chego ao meu objetivo. Bater a meta no Catarse.

Caneta e Café – Gostaria de acrescentar algo?

Marcio Abreu – Quero agradecer ao Caneta e Café pela oportunidade e a todos que já apoiaram esse projeto, seja no Catarse, seja curtindo e compartilhando nas redes sociais, seja batendo papo entre os amigos sobre a Lorenna! Valeu!

Caneta e Café – Valeu Marcio!

Acompanhe o artista:

https://www.facebook.com/MarcioAbreuArt

http://lorennacomics.blogspot.com.br

Instagram: @marcioabreuarte

Francisco Costa é jornalista, especialista em marketing e comunicação digital e fã de quadrinhos – jor.francisco.costa@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s