Principal causa de mortes no Brasil, doenças do coração podem ser evitadas

Dado alarmante da Organização Mundial de Saúde aponta que até 2040 o número de óbitos por doenças cardiovasculares no Brasil crescerá em torno de 250%

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Doenças cardiovasculares são a principal causa de mortes no Brasil. No período de 2004 a 2014, foram quase 3,5 milhões de óbitos, 29% do total das mortes no país. Ou seja, nesse intervalo de dez anos, a cada 40 segundos uma pessoa faleceu em decorrência de problemas no coração. Só em 2016 foram quase que 350 mil brasileiros vitimados, e para este ano o número previsto passa das 144 mil mortes. Os números da Sociedade Brasileira de Cardiologia assustam e dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que a situação no Brasil pode piorar, pois segundo a instituição, até 2040 o número de mortos por doenças cardiovasculares no país crescerá em torno de 250%.

Segundo a OMS muitas dessas vidas poderiam ser salvas, com melhorias no acesso à saúde, sobretudo no que diz respeito ao controle da pressão alta, do colesterol alto e de outras condições que aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Mudanças de hábitos também fazem diferença sob o ponto de vista preventivo. Para a cardiologista Flaviana Carneiro, que trabalha há 14 anos no centro médico do Serviço Social da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Seconci – Goiás), a falta de prevenção é a principal causa dessas mortes que poderiam ser evitadas. “Atualmente aqui no meu consultório as maiores causas, felizmente, são evitadas a tempo, pois nós do Seconci realizamos palestras nas obras orientando os funcionários sobre a importância da prevenção”, afirma a cardiologista.

A especialista lembra que ao longo da vida, nem todo mundo se preocupa com esse órgão que trabalha incansavelmente, e, quando ele dá sinais de complicações, às vezes, é tarde demais. “A maioria das pessoas que morrem por causa do coração, é devido às altas taxas de colesterol, pressão alta e aumento dos casos de obesidade, que são fatores de risco clássicos, os quais todos já sabem que representam riscos para doenças cardíacas”, alerta a cardiologista do Seconci Goiás.

A médica explica que uma breve interrupção no ritmo do coração, de 70 para 80 batimentos por minuto, já é fatal para um ser humano. Porém o contrário também é muito perigo, uma frequência cardíaca muito acelerada pode ser letal. Portanto ele deve funcionar de forma equilibrada e para isso é necessário estar atento a esse órgão vital que tem como função levar a todo o corpo o sangue oxigenado.

Foi depois de uma palestra sobre doenças cardiovasculares, realizada na obra onde trabalha, que o servente de pedreiro da FR Incorporadora, João Pinto Monteiro, de 61 anos, começou a olhar com mais zelo para o próprio coração. “Vi que eu tinha muitos daqueles hábitos ruins que falaram na palestra. Então resolvi fazer um check-up no centro médico do Seconci. Acabei descobrindo que estava com arritmia”, conta o servente. João também descobriu, após passar pela consulta e fazer os exames, que estava com o colesterol alto e várias alterações cardíacas.

Agora João admite que cuida bem melhor do seu coração e de seus familiares. Com o susto ao ser diagnosticado com  arritmia resolveu levar toda a família para se consultar no Seconci, para que todos aprendam a se prevenir. “Eu não tinha o costume de ir ao médico, mas agora eu e minha família estamos atentos e usando os serviços do Seconci. Agora eu vou é cuidar do meu coração!”, brinca João Pinto.

De acordo com o site Saúde Plena, não só no Brasil as doenças cardíacas serão a principal causa de morte nos próximos 25 anos. Espera-se que aumente também na China (210%), na Índia (170%) e nos Estados Unidos (70%), por exemplo. Atualmente, as doenças do coração corresponde ao total de 30% de todas as mortes no mundo. Mata mais que o temido câncer, por exemplo, que corresponde a 13% das causas de óbitos gerais. Mas a pergunta é: porque o coração ainda mata tanto?

13 passos para ter um coração saudável:

·  Faça um check-up pelo menos uma vez por ano;
·  Não fume e nem use drogas;
·  Se tiver antecedentes familiares para doenças crônicas, como por exemplo, diabetes, hipertensão e problemas cardíacos fique ainda mais atento;
·  Tenha uma alimentação mais saudável rica em alimentos com substâncias antioxidantes, fibras e gorduras monoinsaturadas ou poli-insaturadas, como azeite, alho, aveia, tomate ou sardinha, por exemplo;
·  Beba muita água;
·  Pratique atividade física orientada e regularmente;
·  No caso das mulheres, a ida regular ao ginecologista é importante;
·  Caso tenha dor no peito ou no tórax acima do umbigo vá rapidamente ao hospital mais próximo;
·  O tratamento mais efetivo para o Infarto é o desentupimento da artéria coronária, por trombolíticos ou angioplastia, desde que realizado dentro das primeiras duas horas do início do quadro;
·  Fique atento ao peso;
·  Evite o estresse;
·  Cheque sua pressão arterial regularmente;
·  Monitore o colesterol.

Sintomas

A OMS ressalta que um ataque cardíaco ou um derrame podem ser os primeiros sinais de alerta para um problema ainda maior. Os sintomas incluem dor ou desconforto no centro do peito e dor ou desconforto nos braços, no ombro esquerdo, nos cotovelos, na mandíbula ou nas costas.

A pessoa também pode apresentar dificuldade para respirar ou falta de ar; enjoos e vômitos; tontura e desmaios; suor frio; e palidez. Mulheres têm maior chance de apresentar falta de ar, náusea, vômito e dor nas costas ou na mandíbula. A orientação é que pessoas que apresentam esses sintomas procure auxílio médico imediato.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s