[Coluna de quadrinhos] Felipe Folgosi fala de sua segunda HQ, Comunhão

HQ é protagonizada por Amy, uma ex-corredora de aventura

Recentemente noticiamos o lançamento da segunda HQ do ator Felipe Folgosi, Comunhão.Trata-se de uma obra de suspense e terror ambientada no Brasil. O roteirista desenvolveu inicialmente o roteiro para o cinema, mas escolheu a trama para ser seu novo projeto em quadrinhos ao perceber seu imenso potencial gráfico. “Consegui juntar elementos suficientes para criar uma história plausível partindo de uma premissa histórica, mas mergulhando no lado mais sombrio do ser humano, o que cada um é capaz de fazer para sobreviver. Claro que tudo isso com muita ação, violência e gore”, conta.

O enredo começa quando um time de corrida de aventura, após uma prova, decide fazer uma trilha longe dos olhares da mídia e da organização. Eles acabam se deparando com uma tribo perdida, dominada por um reverendo misterioso com um passado suspeito. A história é contada pela perspectiva da Amy. Ela é uma das melhores corredoras do mundo, mas depois de um grave acidente fica traumatizada, para de correr e passa a coordenar a equipe do irmão, Mark.

Interessou? Então confira o bate-papo bacana que tivemos com o autor.

Caneta e Café – De onde surgiu o tema de Comunhão, um suspense com esportistas?

Felipe Folgosi  – Em 2006, um produtor americano que havida lido um roteiro meu sugeriu que eu escrevesse um filme de terror, por ser um gênero pelo qual muita gente começa em Hollywood. Como até então só escrevia sobre ideias com que eu tinha alguma ligação pessoal, encarei como um desafio achar um tema dentro do gênero que fizesse sentido para mim. Sempre gostei de acampar, fazer trilhas, acompanhava as provas de corrida de aventura… E a ideia primal do homem ter que lutar para sobreviver na natureza me pareceu ser o mote que precisava para desenvolver a história.

Felipe Folgosi iniciou no mundo das HQs com a obra Aurora. Comunhão é seu segundo título

Caneta e Café – A HQ se passa no Brasil, mas pelo nome dos personagens imagino que eles sejam de outros países, é isso mesmo? Por que essa escolha?

Felipe Folgosi  – Escrevi em inglês pensando em vender para o mercado americano, por isso há personagens estrangeiros de várias nacionalidades, incluindo brasileiros. Na história, uma das etapas de um circuito mundial de corrida de aventura acontece no Brasil, o que acaba trazendo os personagens para cá.

Caneta e Café – Essa HQ está mais pra suspense ou pro terror? Explique para nós, por favor!

Felipe Folgosi  – É uma mistura de aventura, suspense e terror psicológico. Faço essa distinção por ser diferente do terror sobrenatural. Mas para os amantes do gênero posso dizer que fiquem tranqüilos, porque tem bastante “gore” (risos).

Caneta e Café – Este é seu segundo trabalho como quadrinista. A ficção científica Aurora foi seu primeiro. Quais as semelhanças e diferenças neste trabalho?

Felipe Folgosi  – Escolhi o Comunhão entre outros roteiros exatamente para fazer um contraponto com o Aurora. Queria que fossem projetos bem diferentes, até esteticamente, começando pela arte do Comunhão ser em preto e branco (também fazendo uma homenagem aos quadrinhos de terror dos anos 1970). No Aurora um dos temas é a dicotomia entre religião e ciência e no Comunhão abordo como a fé pode ser necessária para sobreviver, mas também como pode ser manipulada por alguém com más intenções. Talvez esse questionamento “metafísico” seja um ponto de semelhança entre os dois.

Caneta e Café – Você é notoriamente conhecido como ator. Já tem o mesmo reconhecimento no mundo da nona arte?

Felipe Folgosi  – Não, me considero iniciante no mundo dos quadrinhos. Sei que o fato de ser ator ajudou a divulgar o trabalho, mas no fim das contas o quadrinho tem que se sustentar por si só.

Caneta e Café – Como foi o feedback de sua estreia nesse universo e por que resolveu entrar?

Felipe Folgosi  – O feedback tem sido surpreendentemente positivo. Hoje em dia é muito fácil as pessoas te encontrarem nas redes sociais ou nos eventos de quadrinhos que procuro participar e é essa resposta que me dá incentivo para continuar produzindo. Resolvi entrar por ser fã de quadrinhos desde criança e por querer dividir com as pessoas as histórias que viviam comigo há anos. Esse prazer em se comunicar com o outro é o maior incentivo em qualquer campo artístico, na minha opinião.

Caneta e Café – Só para atiçar: TV/cinema ou quadrinhos?

Felipe Folgosi  – Hahaha, tudo junto misturado, pode ser?

Caneta e Café – Por fim, sei que é cedo, mas pode nos falar de outros projetos que pretende lançar no mundo dos quadrinhos?

Felipe Folgosi  – Espero lançar o Catarse da continuação do Aurora ainda esse ano e tenho um projeto com uma editora para o ano que vem.

Caneta e Café – Algo mais a pontuar?

Felipe Folgosi  – Quero convidar todos que puderem comparecer ao lançamento do Comunhão no dia 25/07. Teremos dois momentos, começando na Livraria Cultura da Paulista das 18h30 até às 21h00, e seguindo para a festa na hamburgueria Stunt Burger, à partir das 21h30, entrada franca. O Comunhão vai estar disponível nas bancas e livrarias. Quem quiser comprar autografado é só mandar um inbox nas páginas “Comunhão HQ” ou “Aurora HQ” no Facebook! Espero vocês!

Francisco Costa é jornalista, especialista em marketing e comunicação digital e fã de quadrinhos – jor.francisco.costa@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s