Brasileiro adere à cultura do desapego

As pessoas já começam a perceber que esse modelo do consumismo sem limites não faz bem a elas e nem ao nosso planeta. Com a Internet, ficou mais fácil comercializar e trocar aqueles itens que não servem para você, mas com certeza podem ser usados por outros

Com a Internet, ficou mais fácil comercializar e trocar aqueles itens que não servem para você

O carrinho de bebê que você já não usa porque seus filhos cresceram, aquele terno que há muito está esquecido no guarda-roupa ou o ingresso para aquele show que você não vai poder aproveitar porque estará de plantão, pode ter certeza, se não serve mais para você para alguém certamente servirá. Essa cultura do desapego ficou ainda mais evidente com a Internet. Para se ter ideia, um dos maiores e mais antigos portais de classificados onlines do Brasil, movimentou só no ano de 2015 cerca de R$ 70 bilhões em transações de compra e venda de produtos usados.

“Ao contrário de outros países, o Brasil ainda não explora todo o potencial de compra e venda de produtos usados. Este processo de amadurecimento depende da superação de alguns preconceitos, como a ideia de que a pessoa só vende seus bens quando está precisando com urgência de algum dinheiro. O fato da venda acontecer diretamente entre os consumidores é outro obstáculo, pois os usuários precisam vencer a desconfiança que está atrelada à negociação com um desconhecido”, explica o empresário Rafael Barbosa fundador da plataforma XporY.com, plataforma virtual de permutas multilaterais.

Bens que não usufruímos mais podem, não só ser comercializados, como também trocados por outros produtos ou serviços, como ocorre na XporY.com. Dentro do conceito de economia compartilhada, a empresa traz uma alternativa para que profissionais e empresas gerem valor a seus produtos e serviços, além conquistar consumidores. Outro diferencial é que na plataforma tudo pode ser negociado sem uso de dinheiro, usando-se somente o X$, moeda virtual adotada XporY.com.

Desapego

Para Rafael, a Internet ajudou, e muito, para essa crescente cultura do desapego às coisas. “As pessoas já começam a perceber que esse modelo do consumismo sem limites não faz bem a elas e nem ao nosso planeta, já que um dos grandes problemas de hoje é a necessidade de racionalização e preservação dos recursos naturais. Muitas vezes temos em nossa casa um monte de tranqueira que só ocupa espaço, sendo que muitos desses objetivos podem servir a outros”, explica Rafael Barbosa.

O ponto de vista defendido pelo empresário é respaldado pela Global Footprint Network, uma organização internacional que anualmente calcula o Earth Overshoot Day (Dia da Sobrecarga da Terra), momento quando o consumo dos recursos naturais pela população e indústrias do Planeta atinge o limite do que a Terra é capaz de repor em um ano inteiro. E segundo os estudos da ONG, a cada ano gastamos mais recursos naturais do que a natureza consegue repor e o dia da sobrecarga chega cada vez mais cedo, como este ano, no dia 2 de agosto.

E o desapego citado pelo fundador da XporY.com não precisa ser só em relação a itens velhos que não usamos. A psicóloga Leila Soares, 38 anos, por exemplo, ganhou um celular de uma tia que mora fora do País, mas apesar do aparelho ser de última geração, o dispositivo não atendeu às suas necessidades. Foi quando Leila conheceu a plataforma XporY.com e anunciou o telefoen celular e o vendeu por  2.300 “X$”. “Fiquei surpresa com a rapidez, agilidade, excelência e eficaz de ser atendida e de vender o meu celular”, conta Leila.

O advogado Rafael Rocha, 40, já está na plataforma da XporY.com desde o mês de abril deste ano oferecendo seu serviço. Mas viu no portal a possibilidade de trocar ou se desapegar de uma câmera filmadora profissional de um smartfone. “Anunciei a meu antigo Iphone 5S e em menos de 40 minutos vendi o aparelho por 2.500 X$, já a câmera de filmagem demorei um pouco mais em relação ao celular, mas em relação a outros sites do segmento achei que vendi rápido, pois em 10 dias negociei ela por 6.500 X”, afirmou.

Tanto Leila quanto Rafael Rocha, depois de se desapegarem de itens que não usavam mais e negociá-los, agora têm a sua disposição um bom valor em “X$” para gastarem a qualquer hora com uma infinidade de produtos e serviços oferecidos na plataforma XporY.com. “Ainda não gastei os meus X$’s mas quero utilizá-los com produtos e serviços para minha empresa e uso pessoal, pois na plataforma tem opções de todos os segmentos que se imaginar. As opções são inúmeras!” conta Rafael Rocha.

Diferencial

Um diferencial da XporY.com, em relação a outras plataformas de permuta, é a ausência de custo de adesão, ou seja os participantes não têm que pagar para entrar na “rede” e nem um valor mensal como manutenção. “Com a XporY.com, somente na hora de consumir, é que paga-se apenas uma taxa de 10% em reais sobre o valor da compra”, explica o empresário.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s