Operários da MRV recebem diploma do ensino médio

Profissionais são participantes do projeto Escola Nota 10 realizado pela construtora em parceria com o Sesi e FIEG. Iniciativa já beneficiou mais 3.500 trabalhadores que retomaram seus estudos

Dividir o tempo entre trabalho e estudo não é fácil, tanto que exatamente por isso que muitos jovens e adultos abandonam a sala de aula. Um deles é o servente Jhonathan de Araújo Silva, 22 anos, que aos 16 anos largou a escola para ajudar a mãe e o irmão mais velho com as despesas de casa. Aos 20 anos, quando começou a exercer o cargo de servente na MRV Engenharia, teve outra chance de voltar à sala de aula.

Jhonathan e mais seis trabalhadores do canteiro de obras do Parque Gran Vitória, em Goiânia, não desperdiçaram essa oportunidade e última terça-feira, 3 de outubro, receberam o diploma de conclusão do ensino médio, por meio do programa nacional Escola Nota 10, desenvolvido pela construtora, em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi) e da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG). A cerimônia de diplomação foi realizada na sede do Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Sinduscon). Jhonathan e seus colegas de trabalho somam agora aos 3.500 trabalhadores que já foram beneficiados com a iniciativa ao longo de seis anos de projeto.

Desde 2011, a empresa já implantou mais de 170 escolas de alfabetização, inclusão digital e ensino regular em seus canteiros. O projeto é desenvolvido em todos as 148 cidades de 22 estados onde a MRV atua. “

Vitorioso

O servente Jhonathan de Araújo passou dois anos trabalhando durante o dia e assim que terminava o expediente na obra se arrumava para começar a segunda jornada do dia: os estudos. “É muito cansativo e é preciso ter muita força de vontade. O cansaço no fim da jornada de trabalho é grande, mesmo assim eu nunca pensei em desistir. Hoje me sinto vitorioso por saber que batalhei até o fim para realizar o meu sonho de concluir os estudos”, revela Jhonathan. E, para ele, esta foi apenas mais uma etapa de muitas que ele ainda pretende enfrentar. “Quero ainda fazer uma faculdade, me formar e conseguir uma posição melhor na vida, como forma de agradecimento pela oportunidade que me deram”, conclui.

Hebert Pereira da Silva (31) também está entre os concluintes do segundo grau. Ele era servente quando começou a trabalhar na construtora e, depois de ter reiniciado os estudos, conta que já subiu de cargo duas vezes. “Eu parei de estudar no 1º ano do Ensino Fundamental quando eu tinha 18 anos. Parei para trabalhar, mas hoje eu vejo que não fiz uma boa escolha. Se eu pudesse voltar eu não teria parado os estudos”, revela Hebert, que atualmente exerce a função de auxiliar de almoxarife.

O operário já percebeu como uma melhor qualificação escolar pode fazer a diferença para sua carreira profissional, e diz que não pretende parar no ensino médio. “Já vi um curso de graduação para eu fazer quando terminar os estudos aqui. Quero ser engenheiro. Gosto de estar nesse ambiente de obras”, afirma.

Reconhecimento

O professor Frederico de Bastos, que acompanhou esta turma por anos, sabe das dificuldades que os alunos enfrentam diariamente para conseguirem estar ali na sala de aula. “Eles são como filhos para mim, afinal convivemos durante horas juntos durante todos os dias da semana, por isso a gente sofre com a batalha deles, mas também se orgulha quando eles vencem a guerra. Hoje olho para trás e vejo que fiz tudo que podia ter feito por eles e a felicidade que está estampada no rosto de cada um ao receber este diploma também é a minha felicidade profissional e pessoal”, conta.

O evento contou a presença do diretor executivo da empresa, José Luiz Meireles, que acredita que este é o primeiro passo de muitos que estes trabalhadores estão dando em prol do crescimento pessoal e profissional. “Queremos sempre valorizar nossos colaboradores, especialmente estes que ficam todos os dias debaixo de Sol quente e que muitas vezes não tiveram a oportunidade de concluir os estudos. A MRV Engenharia considera que este trabalho é um investimento na educação do trabalhador, tanto que muitos deles crescem dentro da própria construção”, acrescenta o executivo.

O projeto  Escola Nota 10 tem como objetivo democratizar o acesso às tecnologias da Informação, de forma a permitir a inserção dos trabalhadores na sociedade da informação via cursos de alfabetização/capacitação ministrados nos canteiros de obras da MRV Engenharia  em todo o país. O projeto conta com a parceria pedagógica do Serviço Social da Indústria (Sesi) e da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s