Caravana goiana de teatro percorre mais de 5 mil quilômetros

Desde o dia 6 de abril, os artistas Fernanda Pimenta, Thaíse Monteiro e Thiago Moura circulam Brasil afora com três espetáculos teatrais diferentes: Quando se abrem os Guarda-Chuvas (Farândola Teatro), A história é uma Istória (Grupo Bastet) e Rato de Biblioteca (Cia. De Arte Poesia Que Gira). Nesta sexta-feira, 25, eles encerram em São Paulo a turnê chamada Na Estrada. O projeto – pra lá de ousado – foi realizado com recursos do Fundo Estadual de Cultura de Goiás e teve a produção da Plano V Eventos e Cultura.

A última apresentação será no Espaço Cultural CITA, em São Paulo, e nesse dia será encenado o espetáculo Quando se Abrem os Guarda-Chuvas, do Farândola Teatro. A atriz Fernanda Pimenta, que interpreta a Dona Conceição, fala da experiência que ela viveu nestes quase dois meses de caravana: “Essa circulação está sendo incrível. A gente escolheu a dedo os lugares para ir. Pelo curto intervalo de tempo, entre uma cidade e outra, nós vivemos tudo muito intensamente. Uma experiência de estar o tempo todo vivenciando essa conexão, essa vida de relações, de encontros, de trocas, de compartilhamentos.”

Sobre a recepção do público, Fernanda Pimenta também relata: “Os públicos nos receberam de uma forma muito calorosa. A gente passou por lugares em que as pessoas queriam muito que a gente estivesse ali, e que ficaram muito gratos por termos ido. O importante disso tudo é levar sim o nome de Goiás, mas é principalmente vivenciar esse material humano. Levar arte e cultura onde as pessoas estão sedentas. O que me surpreendeu foi essa necessidade. Na maioria dos lugares que a gente passou. A necessidade desses lugares de nos receber. A felicidade e gratidão com que essas pessoas ficaram.”

Toda a programação do circuito Na Estrada foi gratuita e entre os trabalhos apresentados, havia tanto espetáculos para público adulto quanto para o infantil. As cidades contempladas foram: Santo Antônio de Goiás; Jataí (GO); Porto Nacional (TO); Brasília (DF); Cavalcante (GO); Campo Grande (MS); Visconde de Mauá (RJ) e São Paulo (SP).

Espetáculos

Quando se abrem os Guarda-Chuvas: Um poema cômico sobre o envelhecer. O monólogo “Quando se abrem os guarda-chuvas” tem a atuação de Fernanda Pimenta, que também é coautora da obra. Um trabalho que nasceu junto com o Farândola Teatro, no ano de 2011. A direção é da espanhola Elena Diego e a dramaturgia do carioca João Pedro Fagerlande. Um trabalho de teatro físico e poético, que é ao mesmo tempo melancólico e cômico, lírico e áspero, contundente e apaziguador. A oralidade é o ponto de partida da personagem Conceição, uma viúva de mais de 70 anos, que se relaciona com o público de uma maneira calorosa, falando de seu dia-a-dia de pessoa idosa, que viu seu mundo se transformar aos poucos. A espevitada figura fala em futuro, em desejos, em como se relaciona com um mundo cada vez mais veloz e tecnológico, e certifica a audiência de sua autonomia e capacidade de se apropriar de tudo isto, inclusive de sua vontade de novamente amar. Dona Conceição contracena com suas memórias e com personagens que estão do outro lado da ligação ou das redes sociais. Ou seja, quando Dona Conceição abre seu guarda-chuva é tão somente para sair mundo afora, caminhando em direção a um futuro que ainda pode lhe reservar muitas surpresas.

A história é uma Istória: Uma comédia de Millôr Fernandes. Um espetáculo questionador e atual, que aborda a evolução do homem de forma crítica e reflexiva, derrubando os mitos, questionando os ídolos e ridicularizando os “grandes” feitos da humanidade, contando-os pela ótica dos excluídos, explorados e derrotados. O poder do espetáculo está no encontro com o espectador. Corrupção, exploração do sexo, a miséria humana, a canalhice dos poderosos, a alienação das massas. Tudo isso contado pelo Grupo Bastet, que há 15 anos inquieta-se na criação de obras sobre o mundo que alcançamos e sobre o mundo que sonhamos. No elenco estão Thiago Moura e Fernanda Pimenta. A direção do espetáculo é de Lua Barreto. E o ator Miqueias Paz foi quem fez a direção dos atores.

Rato de Biblioteca: Uma Ratinha, ávida leitora, e uma Traça, muito sabichona e gulosa, são as protagonistas desta trama, que faz uma defesa divertida do hábito da leitura. O enredo mostra que as duas são moradoras de uma biblioteca pública que está prestes a fechar por falta de leitores. Preocupadas com seus futuros, elas vão armar os mais mirabolantes planos para defender seu lugar de vida e de cultura. O público se torna cúmplice da do estratagema. As atrizes Thaíse Monteiro e Fernanda Pimenta cantam, dançam, tocam instrumentos e se apropriam do circo e do teatro para lembrar o público sobre o poder e a importância dos livros. O espetáculo está em cartaz desde 2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s