Hipnose tem 98% de eficácia na luta contra o tabaco

De acordo com especialista, para tratar qualquer tipo de trauma, fobia e mudança de comportamento demanda cerca de seis sessões de hipnose

Considerada uma técnica duvidosa, tornou-se normal deixar a hipnose como última opção de tratamento para quem busca eliminar algum tipo de vício, isso quando ela é sequer lembrada como possibilidade. O que muitos não sabem é que a técnica é uma ciência, sendo qualificada e eficaz no tratamento de traumas, medos e determinadas doenças.

De acordo com o psicalista clínico e hipnoterapeuta, Marcos Dias a hipnose clínica para tratar qualquer tipo de trauma, fobia e mudança de comportamento demanda cerca de seis sessões, tendo 98% de eficácia. “Após um tempo, o paciente pode até sentir vontade de fazer uso de outra droga, por exemplo, mas ele não volta para o mesmo produto do tratamento. E os outros 2% depende da frequência do cliente nas sessões”, explica.

Ele explica que a hipnose nada mais é do um estado natural do ser humano, uma condição tão normal quanto a respiração. O profissional afirma também que o método é mais rápido e natural que a psicanálise clínica e a psicologia cognitiva. “O trabalho do profissional da área é proporcionar uma amplificação deste estado e, assim, recondicionar o problema”, explica.

Marcos comenta que o paciente não é considerado viciado no tratamento, mas sim “condicionado” ao ato de fumar, por exemplo. Partindo deste princípio, tudo o que foi condicionado pode ser recondicionado, desconstruído. As mudanças ocorrem quando a pessoa se permite chegar ao “transe hipnótico”, ou “relaxamento profundo”, durante a sessão. “É como se fosse aquele sonho em que a pessoa acaba interagindo pelo corpo com risadas ou falas”, explica.

O hipnólogo esclarece que a mente humana funciona de duas formas: consciente e inconsciente. É no último conceito que estão os poderes de decisão e escolha, além de habilidades como andar, falar e escrever. “A relação entre todas é que foram ações aprendidas, ninguém nasceu sabendo”.

Marcos evidencia que o vício no tabaco ou outras drogas também está neste lado da consciência. “A pessoa aprendeu o ato e tornou-se natural por conta da repetição. O profissional trabalha com a hipnose para descobrir quando o indivíduo começou e desconstruir o pensamento”.

Tratamento

O processo para que a pessoa alcance o transe e, então, o hipnólogo chegue ao inconsciente dela se dá por meio de palavras que remetam a imagens conhecidas da pessoa, como pedir que o cliente se imagine em uma praia e sinta a brisa no rosto.

Na primeira sessão, o profissional retira o efeito “fissura” pelo narcótico. Já na segunda, ocorre a busca da origem do que o paciente quer “fugir” quando a utiliza. “Não existe nenhum ser humano que usa drogas que não queira relaxar ou desprender-se. Qualquer que seja o condicionamento é uma busca por alívio. Em casos de vício, sempre existirá um trauma por trás, e que talvez nem a pessoa saiba que possui”, frisa o profissional.

Não existe nenhuma contraindicação para começar a frequentar sessões de hipnose, visto que o tratamento é voltado para todo ser humano. Em consequência, também não é possível traçar um perfil de quem procura a terapia. “Qualquer pessoa pode se tratar, o crucial é querer”, afirma Marcos, assegurando que o próprio tratamento garantirá que paciente chegue ao fim. “Ele também é condicionado a ter uma vida melhor, com mais alegria e liberdade”.

Com um período de mais de dez anos trabalhando com hipnose, Programação Neurolinguística (PNL) Comportamental e psicanálise clínica, Marcos Dias reforça que este método não é um mito e que os interessados devem procurar um especialista gabaritado para não caírem em nenhum golpe. “O tratamento é clínico, e é cientificamente provado e atestado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). É o tratamento mais seguro que tem, pois não altera fisicamente o corpo como fazem os psicotrópicos. Todo o potencial do ser humano é trabalhado”, defende Marcos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s