Como evitar acnes e irritações na pele provocadas pelo uso de máscaras

Dermatologista dá dicas simples e alerta sobre forma correta de manusear o equipamento de proteção individual que passou a ser obrigatório em Goiás

Obrigatória para quem sair às ruas em Goiás, conforme foi estabelecido por decreto estadual, a máscara é uma barreira física fundamental para ajudar a conter o avanço novo coronavírus. Bastaram poucos dias de uso obrigatório para que muitas pessoas começassem a se queixar de incômodo ao usar o novo acessório, seja com irritação na parte de trás da orelha, em razão do elástico ou fita de sustentação, ou na face. No entanto, segundo a dermatologista Juliana Araújo, há formas de se evitar ou amenizar os impactos provocados na pele pelo uso prolongado da máscara.

“Algumas áreas são mais afetadas, como nariz, bochechas e orelhas. Poderá haver consequências pelo atrito, fricção e pressão. Algumas pessoas podem apresentar vermelhidão ou descamação na pele, mas, se não houver cuidado e, principalmente, hidratação, pode evoluir para um eczema irritativo. Se isso acontecer, os cuidados exigidos serão ainda maiores”, alerta a especialista.

Segundo a dermatologista, mesmo com o uso das máscaras, a higienização da face deve continuar. Conforme destaca, o surgimento de acnes pode ser outro problema. “Pessoas que já sofrem com doenças de pele previamente identificadas, como a própria acne, rosácea, ou psoríase, por exemplo, podem também ver estas situações agravar”, complementa.

Outro potencial agravante é o aro metálico existente nas máscaras para sustentar a proteção sobre o nariz. “O contato desse aro com a pele pode ser um problema para quem já tem histórico de alergia a níquel. E mesmo para quem não tem esse histórico de alergia, o atrito com a pele também pode resultar em vermelhidão e feridas. Quanto mais pressão fizer a máscara junto à face, maior a chance de descamações e ferimentos”, explica.

Cuidados
A dermatologista Juliana Araújo reforça a importância da hidratação da pele como forma de amenizar os impactos do atrito das máscaras e cita outras medidas; veja:

– A higienização das mãos deve persistir com lavagem frequente com água e sabão e álcool em gel.
– A pele sofre com limpeza constante e deve ser hidratada.
– Com uso das máscaras, haverá consequências  pelo atrito, fricção e pressão (incômodo principalmente no  nariz, bochechas e orelhas). Nessas áreas, hidratar também pode ajudar.
– Fazer pausas para aliviar pressão nesses pontos também contribui.
– o uso das máscaras pode deixar a pele úmida e acumular impurezas, resultando em acne. Mais uma vez reforça-se a importância da higienização/hidratação.

A especialista também alerta para a forma correta de colocar e retirar as máscaras. Manusear o equipamento de proteção individual de forma inadequada pode colocar a saúde em risco.

– Higienizar bem as mãos
– Não tocar na parte da frente
– Colocar e retirar a máscara segurando apenas na parte do elástico
– Lavar em seguida e passar antes de reutilizar

“Lembrando que as máscaras caseiras devem ser usadas em intervalos pequenos de tempo. Não podemos usar a mesma máscara por mais de 4 horas. Por isso o ideal é que cada pessoa tem ao menos duas unidades. É uma proteção simples, mas que pode ajudar a salvar nossas vidas”, conclui.

A dermatologista Juliana Araújo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s