[ARTIGO] Alinhadores invisíveis: uma alternativa para o tratamento ortodôntico

Um sorriso perfeito, mas sem o uso de aparelho metálico é o desejo de muitas pessoas. Atualmente isso é plenamente possível, já que existem alternativas de tratamento para quem não quer chamar a atenção de que está fazendo correções no posicionamento dos dentes. Este é o caso dos alinhadores invisíveis, que têm despertado interesse e curiosidade dos pacientes.

Esse tipo de tratamento é uma possibilidade de abordagem totalmente diferente do aparelho ortodôntico tradicional, que é fixo, com os famosos e incômodos bráquetes, fios e elásticos. Os alinhadores são removíveis e confeccionados de maneira personalizada para a correção do sorriso.

Diferentemente da terapêutica tradicional, em que o aparelho fixo é colocado e ajustado ao longo do tratamento, os alinhadores invisíveis são um conjunto de placas que são trocadas sequencialmente, até que o problema seja totalmente corrigido. Não há restrição de idade para este tratamento: de crianças a adultos, qualquer pessoa pode optar pelos alinhadores invisíveis, desde que condições bucais sejam propícias igualmente ao tratamento com aparelho fixo.

As placas são feitas de um material transparente e, além da discrição, exercem uma força leve e contínua para que o dente seja levado à posição desejada. Diferentemente do aparelho ortodôntico fixo, com o qual os dentes são “puxados”, o alinhador “empurra” os mesmos e consegue corrigir os mesmos problemas que o de metal durante o tratamento, desde que seja bem planejado e executado.

Entre as vantagens estão a questão estética e também a possibilidade de remover os alinhadores na hora das refeições, o que facilita muito a higiene bucal com a escovação e uso do fio dental. Além disso, eles também são mais confortáveis e provocam menos dores, apenas uma leve pressão, já que possuem pouco volume e não têm fios, além do fato de o movimento e a força aplicada serem determinados durante o planejamento. Porém vale ressaltar que os resultados dependem exclusivamente da cooperação do paciente, uma vez que o uso deve ser de no mínimo 20 a 22 horas por dia.

Para alguns casos, entretanto, o aparelho fixo ainda é recomendado. Pode -se optar pelo chamado “Tratamento híbrido”, no qual utiliza-se uma fase com ortodontia fixa e a outra com Alinhadores. Tudo depende da complexidade e dos movimentos dentários que serão necessários para a correção e em busca de uma conclusão mais rápida do caso. Por isso, a orientação é que o paciente procure um ortodontista especializado neste tipo de tratamento para que ele indique a melhor ferramenta para o sorriso perfeito de seu paciente.

Eduardo Vilela é odontólogo (UFMG), especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial (Faculdade São Leopoldo Mandic – Belo Horizonte) e em Alinhadores Invisíveis (Pierre Cunha Ortodontia Crystal Aligner e Alinhadores In-Office)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s