Imposto de Renda 2021: declaração de tributos merece preparação especial

Buscar orientação com um contador é a melhor opção para evitar cair na malha fina

O presidente Jair Bolsonaro afirmou novamente que poderia dar uma “mexidinha” na tabela do Imposto de Renda.Mesmo sem afirmar valores sobre a nova tabela, Bolsonaro disse que não foi possível alterar o IR em 2020 devido aos gastos com a pandemia e ressaltou que ano passado houve um baque de quase R$ 700 bilhões de endividamento.

Anteriormente, o presidente havia prometido aumentar a isenção para R$ 5 mil. Atualmente, o limite da isenção do imposto é de R$ 1.903,98. Na campanha, Bolsonaro havia prometido subir a faixa de isenção para cinco salários mínimos, o que equivalia a R$ 4.770 na época. Já no governo, em 2019, o presidente voltou a falar em subir a faixa de isenção, mas menos, para R$ 3.000.

Com a inflação acumulada em 2020, de 4,52%, a defasagem da tabela do Imposto de Renda chegou a 113,09% desde 1996. Esse cenário acaba contribuindo para que as pessoas tenham salários cada vez menores para a base de contribuição. Em 1996, a isenção do tributo beneficiava quem recebia até nove salários mínimos – relação que caiu para 1,73 em 2021.

Ao longo dos anos estamos vendo que O sistema político e arrecadatório do país, é um dos melhores do mundo.  O Governo usa a RFB para aumentar o cerco contra os contribuintes.

Prazo

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2021 – ano base 2020 ainda não foi confirmado pela Receita Federal – mas deve seguir o padrão dos anos anteriores e se estender de 1º de março a 30 de abril.

Antes da abertura do período de entrega da declaração é importante fazer a busca dos documentos necessários e, em caso de faltar algum, já ir atrás de uma nova via. Há ainda os informes de rendimentos das fontes pagadoras e instituições financeiras e recibos de pagamentos e compras.

A recomendação é se antecipar e já separar os documentos o quanto antes, para garantir a melhor restituição ou menor pagamento e minimizando os riscos de malha fina. Além disso, quem entrega nos primeiros dias do prazo tem mais chances de entrar nos primeiros lotes de restituição.

Orientação do contador

Antes é importante lembrar que o IRPF é o balanço de prestação de contas feito anualmente pelos contribuintes que estão obrigados a apresentar a declaração anual. Entre outras situações previstas na norma,  Se nenhuma regra mudar, precisa declarar aquele que, no ano-calendário anterior, recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70 e, em relação à atividade rural, obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50; aqueles que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00; aqueles que obtiveram, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; aqueles que tiveram, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00.

Para que tudo aconteça de forma correta e legal, portanto, o presidente do Sescon-Goiás, Edson Cândido Pinto, destaca que o principal ponto a ser discutido agora, é organizar toda a documentação, caso isso ainda não tenha sido feito, pegar a última declaração, informações dos rendimentos, fichas de bens de direito e comprovantes de despesas dedutivas.

“Quanto mais rápido a entrega for feita, mais cedo será a restituição daqueles que tiveram o imposto retido. Pegar a declaração anterior é uma opção, pois se torna mais fácil identificar o que mudou de um ano para outro. Assim, o contribuinte consegue ter uma sequência ao que já foi declarado. Isso pode servir como um checklist para a organização de todos os documentos que serão necessários para o preenchimento”, afirma Edson Cândido.

O processo da Declaração do Imposto de Renda pode ser bem aproveitado, quando este ocorre dentro de orientações técnicas e com ajuda de um profissional da área de contabilidade, para auxiliar e acompanhar todo levantamento dos documentos necessários na hora da declaração do IRPF. Com auxilio correto, o contribuinte minimiza erros e recolhimentos indevidos.

Muitos contribuintes encontram dificuldades na hora de declarar o IRPF à Receita Federal ou em como preencher a declaração de forma correta. Contar com orientações técnicas e com ajuda de um profissional da área de contabilidade para evitar a temida malha fina é essencial. “Nestes casos, contar com a experiência de um contador pode ser a melhor alternativa para evitar problemas com o Leão.  O nosso papel é evitar as dores de cabeça do declarante. O contador fornecerá todas as informações coerentes, além de minimizar o risco de bloqueio da declaração; seja por falta de conhecimento ou até mesmo atenção”, diz.

Outro ponto que Edson Cândido considera importante é o uso do Certificado Digital nas declarações. Segundo ele, a tecnologia traz a praticidade de validar o acesso diretamente ao ambiente da Receita Federal, permitindo escolher a maneira mais fácil e adequada para preenchimento e envio da declaração.  Além disso, conforme explica o presidente, facilita eventuais retificações e possibilita o acesso às cinco últimas declarações.

A partir do Centro Virtual de Atendimento (e-CAC) da Receita Federal é possível também verificar dados, andamento da declaração, consultar fontes pagadoras e completar a declaração da forma mais correta possível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s