[Coluna de literatura] Há cinco anos deixava-nos José Saramago

Dificílimo acto é o de escrever, responsabilidade das maiores, basta pensar no extenuante trabalho que será dispor por ordem temporal os acontecimentos, primeiro este, depois aquele, ou, se tal mais convém às necessidades do efeito, o sucesso de hoje posto antes do episódio de ontem, e outras não menos arriscadas acrobacias, o passado como se…

[Coluna de literatura] A arte é um escarro! – Heitor Vilela e a psicodelia citadino-agreste

 “A arte de Heitor Vilela impressiona, irrita, inquieta, desperta e provoca os recônditos de sentimentos clandestinos para os sistemas coercivos de nossa própria psiquê. Não é possível passar pelos riscos grossos, irônicos, agressivamente doces e afetivamente ousados do artista de modo incólume. Cada desenho deste jovem goiano atiça nossos recalques, abala nossas certezas e convida-nos…

[Coluna de literatura] Nasceu há quase dois séculos, mas, no pensamento por ele deixado, parece mais vivo do que nunca – Em 5 de maio de 1818 nascia Karl Marx (1818-1883)

“constatamos que o trabalhador baixa à condição de mercadoria e à de mais miserável mercadoria, que a miséria do trabalhador põe-se em relação inversa à potência e à grandeza da sua produção, que o resultado necessário da concorrência é a acumulação de capital em poucas mãos, portanto a mais tremenda restauração do monopólio, que no…

[Coluna de literatura] “Meu espírito descansará em paz; ou, se tem consciência, ele certamente não terá mais” – Mary Shelley e o Prometeu Moderno

Aqui, pois, eu recuo; e deito-me feliz por ter encontrado um abrigo, ainda que miserável, ante a inclemência do clima e, ainda mais, ante a barbaridade dos homens. Título: Frankenstein: ou o Moderno Prometeu (Frankenstein: or the modern Prometheus) Autora: Mary [Wollstonecraft] Shelley (britânica) 1797-1851 Data da 1a Publicação: 1818 (publicada anonimamente; considera-se a Terceira…